O Revival das fitas K7 no Feirão do Vinil

By Feirão do Vinil,

  Filed under: Anos 60, Anos 70, Anos 80, Feirão do Vinil, Fita K7
  Comments: None

 

 

O Revival das fitas K7 no Feirão do Vinil

 

Quem tem 30 anos ou mais ainda deve se lembrar do prazer que era gravar uma compilação de suas canções prediletas para ouvir no caminho do trabalho, escola, faculdade ou, mais ainda, presentear alguém, numa fita K7. Muito antes dos meios digitais de compactar musicas em mp3 e dos gadgets e smartphones com capacidade de guardar toda uma discoteca, era através das famosas fitinhas – para ouvir no toca-fitas do carro ou em com seus fones de ouvido, ligados a um walkman – que se encontrava a maneira de ouvir musica com mobilidade, fora de casa.

A fita cassete ou compact cassette é um padrão de fita magnética para gravação de áudio lançado oficialmente em 1963, invenção da empresa holandesa Philips. Também é abreviado como K7.

O cassete era constituído basicamente por 2 carretéis, a fita magnética e todo o mecanismo de movimento da fita alojados em uma caixa plástica, isto facilitava o manuseio e a utilização permitindo que a fita fosse colocada ou retirada em qualquer ponto da reprodução ou gravação sem a necessidade de ser rebobinada como as fitas de rolo. Com um tamanho de 10 cm x 7 cm, a caixa plástica permitia uma enorme economia de espaço e um excelente manuseio em relação às fitas tradicionais.

O audiocassete ou fita cassete foi uma revolução difundindo tremendamente a possibilidade de se gravar e se reproduzir som. No início, a pequena largura da fita e a velocidade reduzida (para permitir uma duração de pelo menos 30 minutos por lado) comprometiam a qualidade do som, mas recursos tecnológicos foram sendo incorporados ao longo do tempo tornando a qualidade bastante razoável. Recursos como: novas camadas magnéticas (Low Noise, Cromo, Ferro Puro e Metal), cabeças de gravação e reprodução de melhor qualidade nos aparelhos e filtros (Dolby Noise Reduction) para redução de ruídos.

Os primeiros gravadores com áudio cassete da Philips já eram portáteis, mas no final dos anos 70 com a invenção do walkman pela Sony, um reprodutor cassete super compacto de bolso com fones de ouvido, houve a explosão do som individual.

Talvez por conta do momento revisionista em que vivemos. Talvez por influência da cultura pop – Peter Quill, personagem da série Os Guardiões da Galáxia da Marvel fazendo muito sucesso nos cinemas –, certo que nos últimos anos, as saudosas fitas k7 vem sendo resgatadas por muita gente e adquirindo mais adeptos a sua legião de colecionadores fiéis.

Para os fãs das famosas fitas k7, o Feirão do vinil possui uma vasta galeria de fitas dos mais variados artistas e gêneros. Para eles e também para os que querem entrar no universo dos colecionadores de k7, comunidade que só cresce em todo o mundo, uma passada em nossa loja é indispensável.

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Seu Perfil